O Renascimento

Baseado numa apresentação oral feita no âmbito da disciplina Português no 10º ano, a 6 de janeiro de 2015.

Renascimento, Renascentismo e Renascença são os nomes dados ao período que decorreu entre os séculos XV e XVI e o seu nome deve-se à ressurreição de diversos aspetos das culturas clássicas, ou seja, das culturas Romana e Grega.

Neste período muitas modificações foram concebidas ao saber: a visão que pela qual Deus é o centro do pensamento e do estudo Humano, a visão teocêntrica, foi abandonada, dando lugar à visão antropocêntrica que se foca no Homem como objeto de estudo. Foi com esta mudança na forma de pensar que surgiu a mentalidade moderna.

Origens

Cosme de Médici, famoso mecena da época

Cosme de Médici, famoso mecena da época

O Renascimento originou-se na Itália por diversas razões, sendo as principais a sua localização geográfica, o apoio dos mecenas, a educação dos intelectuais italianos, a rivalidade entre cidades italianas e o passado histórico-cultural de Itália.

Classicismo

Com todas estas mudanças surgiu uma mentalidade classicista, ou seja, uma mentalidade em que o Antigo é valorizado, dando prioridade aos modelos e formas de representar o Homem da Antiguidade Clássica.

Nova mentalidade, novos puzzles para montar?

Nova mentalidade, novos puzzles para montar?

Com esta nova mentalidade, uma atitude curiosa surgiu, desenvolvendo assim o espírito crítico, ou seja, uma atitude em que o indivíduo reflete acerca do conhecimento que recebe, não o interiorizando sem o reflexionar. Esta forma de pensar refletiu-se em todos os campos culturais.

Humanismo

O Homem e as suas capacidades começou a ser valorizado em primeiro lugar, dando origem ao Humanismo. Muitos dos intelectuais da época dedicaram-se ao estudo de obras clássicas para adquirirem um maior conhecimento sobre o Homem.

Alguns escritores

Alguns escritores

Devido a esta forma de pensar, ocorreu uma Renovação Literária, em que temos a destacar vários escritores: William Shakespeare e Thomas More da Inglaterra, Erasmo de Roterdão dos Países Baixos, Luís Vaz de Camões e Fernão Mendes Pinto em Portugal, dentro de muitos outros.

Todos estes Homens eram denominados humanistas. Com o espírito crítico surgiu a vontade de experimentar, um raciocínio experimental e crítico, onde o naturalismo, observação direta da Natureza, se tornou fundamental.

Alguns dos que mais se destacaram foram: Copérnico na Astronomia; André Vesálio e Ambroise Paré na Medicina; Pedro Nunes, Português, na Matemática; dentro de outros.

Leonardo da Vinci

Homem Vitruviano

Homem Vitruviano

Leonardo da Vinci é um ícone do Renascimento e considerado génio por muitos. Destacou-se em muitas áreas, fez diversas descobertas e representou o Homem ideal, com as proporções perfeitas. Aqui podem visualizar o desenho feito por da Vinci, denominado Divina Proporção ou Homem Vitruviano.

Arte

A arte, à semelhança da literatura, é um reflexo da sociedade, tendo sido obviamente afetada por todas estas novas formas de pensar e valorizar o Homem, tornando-se uma arte classicista.

Arquitetura

Na arquitetura, elementos arquitetónicos característicos da cultura greco-romana foram adotados. Elementos como as cúpulas,abóbadas de berço, frontões, arcos de volta perfeita e a sobreposição de ordens arquitetónicas (dórica, jónica e coríntia).

Uma cúpula

Uma cúpula

Além de renascerem alguns aspetos greco-romanos, novos foram introduzidos: o equilíbrio, a simetria e a horizontalidade. Aspetos que melhoram a harmonia dos edifícios. Aqui temos a Basílica de São Pedro, uma construção que contempla estas características. Alguns dos arquitetos da altura que se destacaram foram Brunelleschi, Bramante e Miguel Ângelo.

Mosteiro dos Jerónimos

Mosteiro dos Jerónimos

A corrente Renascentista não foi inicialmente introduzida em Portugal na arquitetura, mantendo-se o estilo gótico com algumas adaptações relacionadas com a expansão marítima. Este estilo denomina-se Manuelino e é possível vê-lo, por exemplo, no Mosteiro dos Jerónimos.

Casa dos Bicos, em Lisboa

Casa dos Bicos, em Lisboa

Mais tarde foram construídos edifícios como a Casa dos Bicos, em Lisboa, que já ostentavam características Renascentistas.

Pintura

Gioconda, Eva e Madona Del Cardellino, respetivamente

Gioconda, Eva e Madona Del Cardellino, respetivamente

Irei agora falar sobre a Pintura Renascentista que apresenta grande técnica e criatividade. Algumas das características das pinturas da época são o naturalismo e o realismo. Algumas técnicas, como a pintura a óleo e perspetiva foram introduzidas nesta época.

Painéis de S. Vicente

Painéis de S. Vicente

Aqui podem ver algumas das pinturas mais conhecidas do Renascimento: Gioconda de Leonardo da Vinci, Eva de Lucas Cranach e Madona Del Cardellino de Rafael. Em Portugal, destacam-se os Painéis de S. Vicente, produzidos por Nuno Gonçalves.

Escultura

Na escultura temos as destacar algumas novas características em relação às da cultura greco-romana: a harmonia, o realismo, a monumentalidade e o extremo rigor na representação do Homem.

David, de Miguel Ângelo

David, de Miguel Ângelo

Nesta obra de Miguel Ângelo, denominada David, podem visualizar algumas dessas características. As esculturas também deixaram de estar obrigatoriamente associadas à arquitetura, individualizando-se.

Pietá, de Miguel Ângelo

Pietá, de Miguel Ângelo

Aqui temos mais uma obra de Miguel Ângelo: Pietá. Temos ainda a Estátua Equestre de Donatello, outro famoso escultor Renascentista. Alguns outros escultores conhecidos foram Verrocchio e Diogo Pires e João Ruão, em Portugal.

Estátua Equestre, de Donatello

Estátua Equestre, de Donatello

Podemos concluir que o Renascimento foi um período de grande renovação, de grande inovação onde ocorreram muitas e significativas mudanças.